sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

High Hopes

High Hopes,
e a lembrança de quem?
A tua
falta é minha.

A luz
que emana
dos teus lábios
beija os olhos do sonhador.

O desejo, a ambição
unidos no ventre
pelo que caminha entre
a dor e a perdição.

Pulse, pulse!

- dizem os cartazes.

Farejar as
pegadas
não cessará
meus passos.

Do outro lado,
dormem, nus, os casais
estrábicos, que se apaixonaram
por uma ilusão.

E eu, aqui, penso:

o que seria de mim
sem um amor despropositado?
o que seria de mim
sem um eu cego - ou apaixonado?

Mas sinto...
tanto...
[por estar
em teu coração]

por mera culpa
ou falta de melhor opção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário