quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Braços

Braços longos que poderiam abraçar
os mundos que passam por eles
preferem o ócio.

Outros, curtos demais para
abraçar mais de um mundo,preferem se encolher e seguir a vida.
Outros, porém, repudiam limitações:
abraçam todos que encontram pela frente,
sem se preocupar com a impotência.

Outros, ainda, abraçam um por vez,
focados e potentes, mudando seus caminhos
e traçando novas rotas e objetivos.

Há braços,

Abraços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário