segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Ela é minha companhia

Ela é minha companhia.
Saboreio seu cheiro

de sangue e cigarros
enquanto cutuco as feridas

em meu pulso caído.
Ela é adorável,

e sorri de soslaio para mim.
Sempre sorri,

pois as retinas em seus olhos
não codificam a tristeza,

não sabem o que é a miséria
em uma vida podre, procrastinatória.

E não há motivo para ficar triste,
não há infortúnio que resista

à alegria que é estar a seu lado,
porque caminhamos tanto!

e agora, acabou.
Ela é o suicídio que faltava em minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário