sexta-feira, 25 de março de 2016

-

Ele soava invisível
aos que transitavam sem passar
pelo irresistível resistível,
que entendia sem entender

o prazer na angústia,
recuo inesperado,
porém seco,
em uma plenitude 
vazia
de uma existência inexistente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário