sexta-feira, 29 de abril de 2016

Oco

lamentavelmente,
todos moram distantes,

e eu mesmo me distancio
ao ver que não há solução.

nunca há solução
melhor do que meu medo,

mas também ele já não há.
quem sabe

não deva haver
muito para mim.

estou sem forças
já há muito tempo.

os cabeceios
contra a parede...

sucintos, coesos,
definham os objetivos;

agora pesadelos,
os sonhos se esvaem

e tenho receio
do bruto encerrar-se.

Nenhum comentário:

Postar um comentário